Neurodidática ou Neuroeducação?

O que é a Neurodidática?

É o estudo de como o cérebro aprende. Em  síntese é uma “neuro-educação” explica como acontece os impulsos cerebrais no processo de aprendizagem durante o desenvolvimento cognitivo das crianças, além de estabelecer uma relação de estudo da neurociência com a educação.

Como funciona?

A neurodidática é baseada em estímulos cerebrais para impulsionar o desenvolvimento cognitivo durante a aprendizagem, poucos educadores sabem, mas isso está “implícito” durante as atividades em sala de aula, desde o curso de pedagogia sempre ouvimos falar que a criança só aprende se estiver motivada, se sentir curiosidade em aprender dentre outros feitios, trabalhar uma didática de ensino-aprendizagem que chame a atenção da criança para a aprendizagem, conhecer  o novo, isso é neurodidática, quando o cérebro se sente instigado a aprender o desenvolvimento cognitivo é melhor e depende dos docentes criar maneiras de ensinar das quais os alunos se interessam, sair do modelo tradicional de ensino e promover mudanças, não ficar só na cópia mas conceituar essa aprendizagem de formas práticas e  lúdicas, pois, o cérebro também aprende brincando.

Quais são os benefícios?

Os benefícios são vários, mas aqui citarei apenas alguns:

1 – facilidade de aprendizado: Quando o estimulo é feito de maneira correta no ensino-aprendizagem das crianças elas tem mais facilidade em assimilar novas informações.

2- Ser ativo: Ao serem provocadas durante a aprendizagem as crianças se tornam cada vez mais seres críticos, ativos (querem ser ouvidos),pensantes, construtores de conhecimento e de interpretação moral do que é certo e do que é errado (…).

3- Memorização e Aprendizagem: Quando digo memorização não está ligado ao termo de ” gravar informações” mas de entende-las de maneira que o cérebro conceitue essa informação de maneira contextualizada de forma que a aprendizagem seja significativa para a criança despertando a vontade de aprender.

*Cada estimulo gera vários benefícios para o ensino-aprendizagem e para a evolução dessa criança, evolução cognitiva e moral como cidadã, esses estímulos não estão apenas ligados a escolas, também podem ser trabalhados em casa e de diferentes aspectos como na leitura, nas brincadeiras, nas criações artísticas (desenhos, músicas, danças…), na fala, na escrita e no jeito de ser, de lidar com as pessoas.

Como podemos ver a neurodidática, ou, neuroeducação já está conosco há muito tempo, porém só agora começou a ser mais interpretada e falada dentro das escolas, mas as escolas não são o único publico, o conceito de neurociências também é aplicada à outras áreas como marketing, economia,ética, politica entre outros e são denominados neuromarketing, neuroeconomia, neuroética, neuropolítica, neuroeconomia (…).

Fonte: https://blog.forleven.com/2018/09/28/neurodidatica/